A insônia é um distúrbio do sono comum que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Para combater este problema, as empresas farmacêuticas desenvolveram vários medicamentos para ajudar as pessoas a terem uma noite de sono reparadora. Os agonistas dos receptores de benzodiazepínicos não benzodiazepínicos mais comumente usados (por exemplo, zolpidem), agonistas dos receptores de melatonina, antagonistas dos receptores de histamina e os antagonistas duplos dos receptores de orexina mais recentes (suvorexante, lemborexante e daridorexante) têm sido usados há muitos anos. Este último ganhou popularidade em 2023. Neste artigo, forneceremos uma visão geral informativa desses medicamentos, incluindo seus mecanismos de ação, eficácia e segurança, efeitos colaterais e reações adversas, além de dosagem e recomendações de uso.

Que novos medicamentos para tratar a insónia estarão disponíveis em 2023 e como funcionam?

Daridorexante, suvorexante e lemborexante pertencem a uma classe de medicamentos conhecidos como antagonistas dos receptores de orexina. Os receptores de orexina são responsáveis por regular os ciclos de sono-vigília e promover a vigília. Ao antagonizar esses receptores, essas drogas inibem o sistema orexina, resultando em melhora do sono e diminuição da vigília. No entanto, cada medicamento tem pequenas diferenças nos receptores alvo e nas afinidades de ligação, o que pode afectar a sua eficácia global e perfil de segurança.

Uma revisão informativa de novos medicamentos para insônia - daridorexante, suvorexante e lemborexante

 

Os antagonistas dos receptores duplos de orexina representam uma nova classe de medicamentos para o tratamento da insônia, com inovações que excedem as diretrizes atuais. O suvorexante foi aprovado em 2014, o lemborexante em 2019, e a mais nova e recente aprovação, o daridorexante, em 2022 (Quviviq, Idorsia, Radnor).

Estamos aguardando a aprovação e aparecimento do Daridorexante na Espanha em 2023, que terá nome comercial QUVIVIQ® (daridorexante). Agora a droga está disponível nos primeiros países europeus, como Itália e Alemanha.

O daridorexante exerce o seu efeito bloqueando a ligação dos neuropeptídeos orexina A e orexina B aos receptores OX1R e OXR2. Acredita-se que o antagonismo desses receptores suprima a vigília hiperativa.

Eficácia e segurança: análise comparativa

Ao comparar a eficácia do daridorexante, suvorexante e lemborexante, estudos mostram que todos os três medicamentos apresentaram resultados promissores na melhoria do início e manutenção do sono. No entanto, o daridorexante demonstrou uma taxa mais baixa de efeitos residuais no dia seguinte em comparação com o suvorexante e o lemborexante, tornando-o potencialmente uma melhor opção para pessoas que precisam estar alertas e funcionais pela manhã. Além disso, foi demonstrado que o lemborexante tem um início de ação mais rápido em comparação com o suvorexante, o que pode ser benéfico para pessoas que têm dificuldade em adormecer.

Em termos de segurança, todos os três medicamentos foram geralmente bem tolerados, com relatos de efeitos colaterais leves a moderados. No entanto, as pessoas que tomam esses medicamentos podem apresentar efeitos colaterais comuns, como dor de cabeça, sonolência e tontura. É importante observar que foram relatados efeitos colaterais raros, mas graves, com suvorexante, incluindo comportamentos relacionados ao sono, como sonambulismo e direção durante o sono. Portanto, é extremamente importante que as pessoas discutam seu histórico médico e quaisquer riscos potenciais com seu médico antes de começarem a tomar qualquer um desses medicamentos.

Achamos que o daridorexante será a nossa escolha.

Efeitos colaterais e reações adversas: o que esperar?

Conforme mencionado anteriormente, os efeitos colaterais mais comumente relatados de daridorexante, suvorexante e lemborexante incluem dor de cabeça, sonolência e tontura. Esses efeitos colaterais são geralmente leves e transitórios, desaparecendo por conta própria, sem qualquer intervenção. No entanto, as pessoas também podem sentir efeitos colaterais adicionais, como náuseas, boca seca e sonhos anormais. É importante observar que a ocorrência e a gravidade dos efeitos colaterais podem variar entre os indivíduos. Se ocorrer algum efeito colateral perigoso ou persistente, é recomendável consultar um médico para avaliação adicional.

Modo de uso e dosagem: Recomendações de uso

As recomendações para dosagem e uso de daridorexante, suvorexante e lemborexante variam dependendo da idade da pessoa, do estado de saúde e da resposta ao tratamento. É importante seguir as instruções dos profissionais de saúde e manter a dosagem prescrita. A dose recomendada de daridorexante é de 25 mg e 50 mg. Via de regra, esses medicamentos são tomados por via oral, independentemente das refeições, pouco antes de dormir. Pessoas com insuficiência hepática ou renal podem necessitar de ajuste de dose. É essencial relatar quaisquer alterações na resposta ou possíveis preocupações ao seu médico para garantir que os ajustes apropriados sejam feitos.

Concluindo, daridorexante, suvorexante e lemborexante são três medicamentos pertencentes à classe dos antagonistas dos receptores de orexina utilizados no tratamento da insônia. Embora todos os três medicamentos tenham demonstrado eficácia na melhoria da qualidade do sono, existem pequenas diferenças no início de ação, efeitos residuais e perfis de segurança. É importante consultar seu médico para determinar qual medicamento pode ser a opção mais apropriada com base em suas necessidades individuais, histórico médico e riscos potenciais. Com orientação e monitoramento adequados, esses medicamentos podem desempenhar um papel importante no tratamento da insônia e na promoção de um sono reparador.

https://www.ema.europa.eu/en/medicines/human/EPAR/quviviq

DR. OLEG KORZHYKOV

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.